• Adoradores
  • quarta-feira, 11 de junho de 2014

    O amor do Papai

     Em Lucas 15:11-24 temos uma parábola sobre um filho de um homem rico, que tinha tudo que precisava, mas um dia pediu ao pai sua parta na herança e saiu para gastar tudo com coisas passageiras, e quando seu dinheiro acabou ele não tinha nem comida pra comer. Arrependido, voltou para o seu pai esperando ser tratado como escravo, mas o seu pai deu uma festa ao ver o filho, "o que estava morto voltou a vida".
     Essa parábola combina bem comigo, com você, e com toda a humanidade. É, com você e comigo porque muitas vezes ficamos frustrados, parece que seguir a Jesus é difícil demais, falar verdades em um mundo que está acostumado com mentiras, amar quem não liga, fazer o bem a quem faz o mal, se acostumar com o "perder"..são coisas que uma hora cansam, olhamos o mundo ao nosso redor, e percebemos que ser dele é mais fácil, é só não segurar a sua cruz e fazer o que bem entender, como o filho pródigo do texto de Lucas 15. 
     E por ficar comparando a vida do mundo com a vida com Cristo, muitas pessoas começam a se enfraquecer e caem, perdem a sensibilidade da fé e do amor de Deus. E esse já é um costume bem antigo, no velho testamento já vimos relatos sobre isso, Asafe no Salmos 73 tinha ciúmes dos ímpios por fazerem o que bem queriam, mas logo Asafe percebeu que tinha um tesouro muito grande, o amor de Deus. 
     Deus é um Rei, glorioso e majestoso, Ele não precisa de nós, mas mesmo assim Ele limita toda a sua soberania para olhar pra nós, como um Pai de coração derretido. Ele vem, nos limpa de todas os nossos pecados, cuidadosamente, cura nossas dores, cada uma delas, nos aquece com seu Santo Espírito, acalma nosso coração e nos da protege de um mundo cruel, nos cobre com vestes de louvor, e nos perfuma com sua doce essência.

     Sabe aqueles filmes em que o pai dava um copo de leite quente para a criança e depois colocava ela carinhosamente pra dormir, contava uma história incrível e esperava pacientemente ela adormecer e quando ela dormia ele dava um beijinho na testa dela e a deixava descansar? Eu sempre imaginei Deus assim, um Pai que escuta nossas reclamações, que fica orgulhoso quando deixamos um caminho mundano pra olhar pra Ele, e que nos olha cheio de amor, quando ficamos tristes e queremos ficar só, Ele fica la, do nosso ladinho até nos acalmarmos e dormimos. Um Pai que nunca nos deixa só.
     Mas as vezes trocamos todo esse amor e carinho por uma pequena felicidade do mundo, e quando essa felicidade passa, o que ta no mundo acaba conosco, rasga as lindas roupas que Deus nos deu, nos suja e humilha, ri da nossa dor, e despedaça nosso coração, nos engana, traí e mente. E se você já passou por isso, deve saber que é como se não fossemos nada. Quando não temos ninguém a quem recorrer adivinha quem ta la nos esperando? o Senhor
     Quando voltamos para os braços do Pai, Ele nos recebe como o pai do filho pródigo, com festa. Existe festa no céu quando um pecador se arrepende, Jesus disse que veio recuperar o que estava perdido, e tem prazer nisso. Ele vem com todo o amor, nos limpa de novo, e de novo, e de novo sem limitação de vezes porque Ele não desiste de você. 
     O Papai, é amoroso demais, quando estamos no pecado, morrendo, Ele não nos olha pra julgar, mas fica com o rosto cheio de lágrimas por ver a criança amada dEle se perdendo por tão pouco.

    Não fique de ir com vergonha de ir a presença dEle quando perceber que errou, vá sabendo que os seus braços estão sempre abertos pra você. E pra mim também que hoje recebi uma grande lição, a porta para o mundo é larga sim, e o caminho para Deus é estreito e cheio de obstáculos, mas a segunda opção vem acompanhada de um amor tremendo, uma caminhada onde Deus vai nos ouvir, fortalecer e amar, e esse amor vale por toda a eternidade. 
    Com o amor do nosso Paizão o caminho estreito nem parece tão apertadinho assim. 



    "Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas.Tenho outras ovelhas que não são deste aprisco. É necessário que eu as conduza também. Elas ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor. Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai". João 10:14-18


    Leia também:
    • Blogger
    • Disqus

    1 comentário

    Deixe teu comentário!